Domingo, 5 de Março de 2006

Boneca

BONECA.JPG

Apareceste

No meu recanto
Por detrás dos fetos.

A tristeza do teu olhar
Dilacerou o meu coração.
A rude mente humana
Retirou-te alegria e esperança
E lançou-te para o abismo.

Alimentei o teu magro corpo
Com comida, calor
e carinho.
Caminhei contigo,
mostrei-te os secretos
e mágicos recantos
da montanha
que me recebeu como um filho.

Chorei de felicidade
ao ver o brilho do teu olhar
que ressuscitou novamente
alegria e a esperança
quase inexistente.

Alimentaste o meu coração
com a tua divina e fiel amizade
carinho e alegria.

As circunstâncias da vida
que me impediam de te ter
levaram-te para longe.
Um novo lar,
uma nova esperança.


Naquele momento
foi imenso
o teu desespero.
Lutaste no objectivo
de te libertares da trela
que te prendia.
O teu olhar começou a perder o brilho
e na humildade que te caracteriza
deitaste-te, e fechaste os olhos
como sinal de profunda dor.


A tempestade da separação
atingiu como um raio
o meu coração
e fez chover lágrimas
como se de uma esponja tratasse
apertada já
pela saudade.

Um ano depois
soube que tinhas morrido.
Quis o destino
que a tua curta vida
acabasse triste.
Mas se Deus existe
tu eras
e serás
eternamente
o meu anjo

Hórus

publicado por Hórus às 18:04
link do post
De Anónimo a 8 de Março de 2006 às 17:13
Boa tarde Horus...desculpa a ausência e obrigada por não te esuqceres de mim. Não vou estar com explicações do porque da ausência não faria sentido (digo eu)...Fiquei siderada naqueles olhinhos...senti as tuas palavras porque já passei por situações idênticas infelizmente não podemos ficar com todos estes olhares, doi muito. Deixo um beijo *oteudoceolhar
(http://oteudoceolhar.blogs.sapo.pt)
(mailto:joanstar@sapo.pt)


Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.