Domingo, 5 de Fevereiro de 2006

ESPÍRITO CELTA

bceltas1.JPG


Corre-me nas veias,
o puro sangue celta.
Antepassados nobres
que navegam,
em tão sublime,
rio vermelho.

Oiço o espirito da natureza.
Os pardais e a cigarra,
silenciam seu canto,
e ouvem o fado,
que a natureza
transmite.

A harmonia
desta união
perpétua,
fortalece,
e faz resplandecer,
o meu corpo
e espírito.


Hórus

publicado por Hórus às 02:05
link do post
De Anónimo a 5 de Fevereiro de 2006 às 21:58
Magnifico e intenso poema, mas aí anda também o sangue mágico dos visigodos!
Bjsjo
(http://ecosdotempo.blogs.sapo.pt)
(mailto:mjoaojara@sapo.pt)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.