Domingo, 5 de Fevereiro de 2006

ESPÍRITO CELTA

bceltas1.JPG


Corre-me nas veias,
o puro sangue celta.
Antepassados nobres
que navegam,
em tão sublime,
rio vermelho.

Oiço o espirito da natureza.
Os pardais e a cigarra,
silenciam seu canto,
e ouvem o fado,
que a natureza
transmite.

A harmonia
desta união
perpétua,
fortalece,
e faz resplandecer,
o meu corpo
e espírito.


Hórus

publicado por Hórus às 02:05
link do post
De Anónimo a 5 de Fevereiro de 2006 às 10:11
HORUS, obrigada pela visita que fizeste ao meu novo campo e pelas lindas palavras que lá deixaste.
Este poema arrepiou-me porque sinto que me corre nas veias o espírito celta, sou "celtibera" e a Mãe Natureza em todas as suas formas, até minerais, fala comigo. Tu sabes o que quero dizer. Um Abraço e um Beijo. Maria Papoila
(http://apapoila.blogs.sapo.pt)
(mailto:mantosilva@sapo.pt)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.