Sábado, 21 de Janeiro de 2006

DOCE MAR

Mar.jpg


Lanço-me
ao mar,
sinto a água
terna e sensual,
a cobrir o meu corpo.
O perfume a maresia,
e o intenso azul,
floresce novamente
meu corpo e alma.
Saio radiante
cheio de doce espuma,
com sabor a sal.
Sento-me
em grãos de acuçar
amarelo,
fecho os olhos,
e aprecio
a sinfonia das ondas,
dirigidas pelo maestro
sol.
Na simplicidade
de tão belo momento,
solto do meu
pensamento,
sussurro
como é esplêndido,
e belo
o nosso
mar .

Hórus

publicado por Hórus às 19:44
link do post | comentar
38 comentários:
De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 12:30
Por ti rumo em sete mares,

Em caravelas naufragadas,

Faço teu, os meus cantares

Em lágrimas salgadas.



Procuro teu porto divino,

Teu corpo de seda moldado,

Entre teu olhar de ouro fino

Mas eu, pobre coitado...



Doces águas murmurantes

Onde eu me esqueço.

Somos dois amantes,

Mas mulher, eu não te conheço!



Sinto que me afundo

Em letras que leio

Desejo profundo

Nas ondas do teu seio.



Afundou-se o barco, eu dormia

E tu que estavas tão perto,

Meu Deus quem diria!

Que o mar ficou deserto.

sofia
(http://loucuradeumamulher.blogs.sapo.pt)
(mailto:sofia_ribeiro21@hotmail.com)


De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 10:01
Bem, os meus sinceros parabéns!
Tens um blog fantástico, tanto a nível gráfico como a nível literário, parece que brincas com as palavras, o que é realmente brilhante!
Continua assim!
Boa semana!Ruben[A]Mar
(http://vidasemti.blogs.sapo.pt)
(mailto:rubenandrade@netmadeira.com)


De Anónimo a 30 de Janeiro de 2006 às 00:12
Não somos nós sêres que na nossa gênese viemos das águas? Tambem não fomos nós que nas águas, passamos uma gestação de nove meses? A água representa para nós o balsamo cândido que nos liberta das impurezas do corpo, e no seu étereo refrescante e revigorante nos vai limpando a alma dos erros e omissões que cometeu contra si mesmo, e contra os outros. A água é nossa submissão ao infinito, e o conhecimento de causa da fragilidade fisica e instintiva que nos intranquiliza e inquieta. Mas é igualmente, banhando o nosso interior com água pura e cristalina que descobrimos a alquimia do sentimento. O de sabermos que não estamos sós, quem somos e para onde vamos. A água nos revela o mistério que deixou de o ser, de que afinal podemos ser imortais, vencer a morte, e superar as barreiras visiveis e invisiveis da vida, e constatando que afinal o infinito deixou de o ser. Não foi atravês das águas do Jordão que Jesus ganhou conciência de si mesmo, e decidiu enfrentar o mundo, pela causa de muitos? Muitas felicidades para o Horus e para o seu magnifico e deslumbrante espaço. Mais que as imagens fisicas, é a admirável magia das palavras que dá substância ao sentimento e alimenta o coração. [Dominio dos Anjos]HumbertotheWizard
(http://DominiodosAnjos.Blogs.Sapo.Pt)
(mailto:HumbertotheWizard@Hotmail.Com)


De Anónimo a 28 de Janeiro de 2006 às 01:10
Ola... Que você seja feliz a cada dia... Que você possa sorrir sempre que alguém precisar do seu sorriso... Que seu coração seja povoado de bons sentimentos... Que cada por-do-sol leve consigo as desilusões do dia que passou... Que cada novo amanhecer seja sempre uma nova chance de recomeçar... Que você seja feliz sempre... ♥¸.·*¨) (¸.·´♥♥.¤`¤*Beijo no seu coração*¤´¤ Fica com Deus!♥¸.·*¨) (¸.·´♥♥.¤`¤*Nylda*Nylda
(http://nylda.blogs.sapo.pt/)
(mailto:nyldaju@sapo.pt)


De Anónimo a 27 de Janeiro de 2006 às 19:51
Um belo texto que prima pela simplicidade e que nos faz lembrar os longos dias de Verão que ainda vem lá tão longe..Há que saber esperar! O meu pai sempre me dizia que a paciência era uma importante virtude a cultivar! Porém com o frenesim dos nossos dias, torna-se difícil ter paciência, principalmente com o nosso semelhante...Todos passamos dias difíceis e todos ansiamos pelo Verão das nossas vidas! Há que ter esperança em dias melhores!Após anos e anos de tempestades o sol brilhará de novo e então irei de encontro ao teu doce mar!Amadora
</a>
(mailto:chafarica_033@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Janeiro de 2006 às 19:23
Aqueles que dizem que esta poesia é fruto de "um delírio subsequente ao mergulho..."deveriam mergulhar nela com atenção para poderem aprender que na poesia não existe tempo...deveria também beber um pouco da simplicidade dos teus textos! Todos deveríamos aprender uns com os outros e deixar de lado o orgulho de tentar sempre mostrar-se superior aos outros! A humildade é algo que também devemos cultivar em nós próprios!O orgulho por vezes cega-nos a tal ponto que nos pode fazer cair nalgum precipício! Força Hórus os verdadeiros amigos estarão sempre contigo! San dr a
</a>
(mailto:jardimsandra68@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Janeiro de 2006 às 19:11
Beleza e simplicidade emanam do teu belo texto tal como o doce e intenso cheiro a maresia se liberta do mar! Adoro a proximidade do mar e é ele que me consegue apaziguar o espírito com um sensação de profunda paz que me inebria e que me faz envolver intensamente com a Natureza!Gostei! Beijinhos!Ana
</a>
(mailto:anamargaridaalmeida@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Janeiro de 2006 às 01:23
"...momento...esplendido...o nosso mar..."
Partilho cumplicemente o teu sentir...lindissímo.
Beijinho de carinho.Ana Paula
(http://biona.blogs.sapo.pt)
(mailto:a_p_m_@hotmail.com)


De Anónimo a 26 de Janeiro de 2006 às 21:17
Passo para deixar um abraço...jUDA
(http://osaldanossapele.blogs.sapo.pt)
(mailto:Juda-bem-hur@sapo.pt)


De Anónimo a 26 de Janeiro de 2006 às 19:00
Hórus,quando tiveres disponibilidade hás-de ajudar o Carlos a criar o blog da Tesouraria, pois há lá episódios muito interessantes para contar! Qualquer dia peço-te ajuda para eu criar o meu! Um abraço!Pedro
</a>
(mailto:ct2hqv@hotmail.com)


Comentar post