Sábado, 21 de Janeiro de 2006

DOCE MAR

Mar.jpg


Lanço-me
ao mar,
sinto a água
terna e sensual,
a cobrir o meu corpo.
O perfume a maresia,
e o intenso azul,
floresce novamente
meu corpo e alma.
Saio radiante
cheio de doce espuma,
com sabor a sal.
Sento-me
em grãos de acuçar
amarelo,
fecho os olhos,
e aprecio
a sinfonia das ondas,
dirigidas pelo maestro
sol.
Na simplicidade
de tão belo momento,
solto do meu
pensamento,
sussurro
como é esplêndido,
e belo
o nosso
mar .

Hórus

publicado por Hórus às 19:44
link do post
De Anónimo a 31 de Janeiro de 2006 às 12:30
Por ti rumo em sete mares,

Em caravelas naufragadas,

Faço teu, os meus cantares

Em lágrimas salgadas.



Procuro teu porto divino,

Teu corpo de seda moldado,

Entre teu olhar de ouro fino

Mas eu, pobre coitado...



Doces águas murmurantes

Onde eu me esqueço.

Somos dois amantes,

Mas mulher, eu não te conheço!



Sinto que me afundo

Em letras que leio

Desejo profundo

Nas ondas do teu seio.



Afundou-se o barco, eu dormia

E tu que estavas tão perto,

Meu Deus quem diria!

Que o mar ficou deserto.

sofia
(http://loucuradeumamulher.blogs.sapo.pt)
(mailto:sofia_ribeiro21@hotmail.com)


Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.