Segunda-feira, 9 de Janeiro de 2006

ANJO NO PARAISO

vales encantados2.JPG


Encontrei-te..
Belo e imponente.
Parecias um anjo no paraiso.
Branco como a neve ,
o seu pêlo era sedoso e suave.
Pedi-te no silêncio do olhar,
se podias levar-me até casa,
começaste a curvetear,
como resposta positiva ao meu pedido.
Partimos então,
pelas brumas que cobrem tão misterioso,
e belo caminho.
Senti-me um principe de outras épocas.
Cavalgando por vales encantados,
avisto paisagens de tamanho encanto.
Para saciar a nossa sede,
estavamos repletos de fontes,
com águas cristalinas e frescas,
que descem pela montanha abaixo.
Perdi-me em tão belo sonho,
pois a natureza tem o dom,
de nos fazer acreditar ,
que a vida é bela.
Avistei por fim o meu destino,
e com uma lágrima no rosto,
despedi-me de ti.
Atravessei o arco-iris,
e esculpi eternamente,
no meu coração,
esta tão bela e mágica,
terra que eu amo,
de nome ,
Gerês.


Hórus

publicado por Hórus às 00:30
link do post
De Anónimo a 14 de Janeiro de 2006 às 23:06
pois bem... quando li a primeira palavra do teu poema, já sabia qual era a última. Só conheço um cavalo branco por aqui, deve ser esse.ruizocas
(http://bloguesfera.blogs.sapo.pt/)
(mailto:ruizocas@hotmail.com)


Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.