Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2005

SOCIEDADE

Sociedade.JPG

Ser amigo da solidão
é sinal de dor
causado pela flecha
da injustiça humana.
Será esse contra -ataque,
sortilégio ou ignorância ?
Não sei...
No silêncio da cadeira
onde me sento
decidi rumar até a lua.
Lá do alto
os meus olhos sonham
ver outro mundo.
Aprendi por fim, com serenidade de espirito;
a pintar a vida
de cores coloridas, e alegres.
Para que a dor e o desânimo
não venha apoderar-se do meu coração.

Hórus

publicado por Hórus às 23:13
link do post
De Anónimo a 21 de Dezembro de 2005 às 14:10
Lindo e profundo este poema.
Aproveito para desejar-te um Natal repleto de Luz, Paz e Amor.Jorge Moreira
(http://jorgemoreirashakti.blogspot.com/)
(mailto:shakti@sapo.pt)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.