Sábado, 22 de Janeiro de 2005

O Desabafo da Alma

1.jpg


Quanto amor procurado
Quanto ódio recalcado
Quanta navegação sem rumo
Quanto incêndio sem fumo
Quanta ilusão apagada
Quanta palavra calada
Quanta felicidade perdida
Quanta ira contida

Quanta dor – também de alma
Quanta droga procurando calma
Quanta flor em mim renascida
Quanta pétala pelo vento varrida
Quanto sossego não encontrado
Quanta solidão apesar de acompanhado

Quanta falta de ternura e de carinho
Quanta tristeza diluída em vinho

Quanto conseguido – quanto perdido
Quanta luta – quanto esquecimento
Quanto desengano – quanto desalento
Quanto desejo de vida no momento certo
Quanto receio de uma morte a rondar o meu pensamento.


Hórus

publicado por Hórus às 00:12
link do post
De Anónimo a 23 de Janeiro de 2005 às 10:45
Olá migo...já estava a ficar preocupado contigo... tentei ligar-te duas vezes e não consegui e como não te via aqui neste grande mundo da net já estava a pensar que tivesse acontecido alguma coisa de mais grave. Olha ainda bem que tiraste um tempo, para descansares, para reflectires e ainda bem que no fundo estás optimo para pensar melhor no teu futuro e não fazeres nada de que te possas vir a arrepender. Já sabes que podes contar comigo e em alguma coisa que eu possa ajudar não hesites em falar comigo tb. Gostava de poder falar contigo de outra forma mas em breve iremos ter essa opurtunidade penso eu. Descansa bastante e reflecte sobre o que queres fazer e não te esqueças de que tens aqui um amigo. Faças o que fizeres da tua vida espero não começar a fazer parte do passado apenas. Quero tb fazer parte do futuro. Um abraço do tamanho do mundo...Tiegas, o sapinho
(http://naturalezamuerta.blogs.sapo.pt)
(mailto:ruicsd@gmail.com)


Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.